Site Autárquico de Vila Real de Santo António

> Home > Notícias
Mapa do Concelho

Áreas Estratégicas

Áreas EstratégicasGabinete de Apoio ao Emprego Eurocidade do GuadianaAssociativismo

Vila Real de Santo António completa investimento de 60 milhões em novas redes de água e saneamento

02/09/2015

Maior intervenção de sempre em infraestruturas põe fim aos esgotos não tratados no Rio Guadiana e permite uma cobertura próxima dos 100 por cento em matéria de água e saneamento.

O secretário de Estado do Ambiente, Paulo Lemos, e o Secretário de Estado Adjunto do Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Pedro Lomba, visitaram, esta quarta-feira, em Vila Real de Santo António, a maior obra jamais efetuada no concelho em matéria de abastecimento de água e saneamento básico, intervenção que permitiu acabar de vez com os esgotos não tratados no Rio Guadiana.

Avaliados em 30 milhões de euros e executados ao abrigo do Programa Operacional Temático de Valorização do Território (POVT), os trabalhos puseram fim a uma rede obsoleta que misturava esgotos e águas pluviais e se encontrava subdimensionada face às necessidades atuais.

Este conjunto de intervenções soma-se às já realizadas pelo executivo vila-realense desde 2005, cujo montante ultrapassa os 31 milhões de euros, o que totaliza um valor global superior a 61 milhões de euros em infraestruturas de água e saneamento.

Para Luís Gomes, presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, «mesmo em tempo de contenção financeira, o município soube encontrar os mecanismos de financiamento ainda disponíveis, levando a cabo o maior investimento público de sempre».

«Por outro lado, este esforço financeiro dá cumprimento às regras exigidas por Bruxelas em matéria de saneamento, corrigindo os erros do passado e evitando multas ao Estado Português», prossegue o autarca.

Ao nível do POVT, e em matéria de saneamento, foram construídas 17 novas estações elevatórias em todo o concelho e implementados 34 quilómetros de novas condutas de esgotos, modernizando uma rede antiquada que, em muitos casos, não se encontrava ligada aos sistemas intercetores e às Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR).

Já no abastecimento, a obra permitiu a renovação de mais 33 quilómetros de tubagens de água e a construção de 4 novos reservatórios, diminuindo drasticamente as roturas e os episódios de falta de água que, no passado, se verificavam no verão.

Simultaneamente, foi remodelada a maioria das tubagens de água do concelho, algumas com mais de 50 anos, e levada água canalizada a diversos pontos do interior do município que ainda não possuíam este serviço em pleno século XXI.

Para o Secretário de Estado do Ambiente, Paulo Lemos, que elogiou a obra levada a cabo em VRSA, «este investimento permite não só o equilíbrio ambiental do país, mas cria também condições para o desenvolvimento turístico da região do Algarve».